Acabo de ler o livro do mega louco Marilyn Manson e quis compartilhar um pouco de sua loucura com vocês, já que grande parte de seu “satanismo” combina muito com  nosso site. Não fiquem com medo, eu explico.

O satanismo dele nada tem a ver com a crença no diabo. Ele não acredita que ele exista. Tem a ver sim com a constatação lógica  de que existem dois defeitos que impedem a  realização plena do ser humano: a estupidez e a covardice.  Esses são os dois únicos pecados em sua filosofia.

O homem comum, estúpido, prefere a liderança de outra pessoa, seus dogmas, seus hábitos…desconfia de sua capacidade mental para criar seu caminho e pega um já feito. É sugestionável ao extremo e não consegue pensar por si próprio. Acredita e segue coisas sem nunca pesquisar a fundo.  Covarde, esconde-se numa rede bem apertada de crenças que limitam sua liberdade até sentir-se seguro, livre de emoções fortes, livre de si mesmo. Mas no fim, o restinho de lucidez cobra a pavorosa monotonia de uma vida sem criatividade, uma vida sem vida, feita de uma abominável “segurança” que promete alegria mas entrega dias e dias de depressão sem fim. Pertencer a um grupo bem definido e já pré-criado é o melhor esconderijo pra fugir de si mesmo.  E também a certeza de uma vida sem graça.

Um ser amplo e infinito como somos acaba por desesperar-se… é por demais claustrofóbico seguir os papeis que a sociedade nos reservou.  Precisamos de um profeta….

Aí vemos alguém que vem e zomba de tudo isso… Não pode!  É o anticristo! Mas tampamos o rosto e olhamos por entre os dedos maravilhados, fingindo não querer ver e desaprovar. Estamos fascinados…  O que fascina as pessoas é alguém sem limites… sem medo… um corpo que pode ser e se metamorfosear em qualquer coisa que bem entender… que cria a si mesmo como homem, mulher, transexual, monstro, animal grotesco, beleza surreal… não se importa com nada,  encara todas as consequências e alimenta-se do medo dos outros. Pisa nos tabus e os transpõem  como quem brinca de amarelinha no quintal de casa… Uma mente que escolhe prazeres bizarros como uma criança que escolhe brinquedos novos. Esse bichinho assustado que somos se assusta de ver. Mas… a cabeça se inunda de vontades perigosas.

Os mais velhos gritam: “está corrompendo nossa juventude!!! Desse jeito vão achar que são livres… pra transar como bem entendem!!!”.  O profeta vem dizer o óbvio: somos sim livres.

Você pode dizer “ele faz tudo pra aparecer”. Mas a coisa vai muito além disso… ele vive a liberdade no dia a dia. Sair na rua vestido do jeito que ele sai e transar do jeito que ele transa mostram no mínimo alguém mais “soltinho” e determinado . Em sua biografia ele diz que já chupou muitos paus, alguns no palco na frente do público. Não tem vergonha… Transa, quando em turnê, em uma semana, com mais mulheres do que muita gente na vida toda. Passa batom e usa lingerie e as mulheres o desejam… ele é tudo menos previsível, e isso instiga mulheres e homens. Quando quer alguém na platéia, vai e dá um beijo que deixa a pessoa toda marcada de batom e tinta… é um código para os seguranças no camarim saberem que devem deixar entrar depois no backstage, porque ele quer mais…

Não conhece estereótipos…ri de uma sociedade que prefere se entupir de hamburger e ver TV do que correr atrás de realizar os próprios desejos. O herói é sempre o outro, na tela, que não  oferece perigo.

Diz que sua maior influência foi o avô, porque descobriu num quarto escondido dele, centenas de filmes pornôs bizarros… Ver que seu vozinho não era assim tão inocente, mexeu com sua cabeça pra sempre…

As pessoas amam dizer que odeiam os seres livres como ele, mas esse ódio é pura admiração…. O que odiamos mesmo é saber que tem alguém mais livre que nós…

Talvez você não precise de tanto teatro pra realizar seus desejos… mas lembre de alguém como Marilyn Manson quando achar que a vida está muito chatinha e sem novidade. Somos nós que fazemos acontecer. Crie sua persona, ou melhor, suas várias personas. Não se esqueça que Marilyn chama-se Brian e que era um nerd bem sem graça e que por muito tempo não sabia o que era transar, pois não atraía ninhguém e sua única emoção eram os vídeo games. Como conta no livro, seus novos  “eus” foram construidos com sua criatividade  e o fizeram escapar de uma vida que poderia ter sido ridiculamente clichê e chata, infeliz.

Olha o que a mente humana, criativa,  pode fazer com um nerd sem graça…. Como disse Goethe, criativo é aquele que cria a si mesmo.

 

 

 

 

 

 

About The Author

Sou um cara que ama criatividade em todos os setores da vida, principalmente no sexo. Sempre pronto pra inventar e experimentar coisas inusitadas, quebrar padrões e expandir a realidade. Tudo junto do amor da minha vida, porque só assim que tem graça.

Related Posts