Já dizia Freud que o ser humano é movido quase que completamente por dois instintos básicos,  o de sobrevivência e o de  procriação, ou seja, fugir da morte e espalhar a semente… Thanatos e Eros, morte e sexo. Em quase todos nossos pensamentos existe algo que tem a ver com sobreviver e algo que tem a ver com procriar. Desejo de manter-se vivo e todas suas táticas, desejo de transar e todas suas taras (espalhar nossos genes por aí)… nossa natureza está constantemente cobrando os dois,  inconscientemente estamos subjugados por ela.

Comemorando o Halloween, tivemos essa ideia de mostrar como os filmes de horror misturam esses instintos básicos humanos… Não existe filme de terror sem uma menina gostosa, não existe filme de terror sem a presença da morte… parece que misturar as duas coisas, medo com tesão, vontade de foder com desespero em fugir do horror, unidos, formam um microcosmos de toda nossa experiência humana.

Ficamos lá presenciando cenas terríveis e quase fechando os olhos pra não ver e ao mesmo tempo admirando a beleza que se mescla à feiura com as atrizes mais lindas possíveis fazendo o contraponto paradoxal… Parece que o feio fica mais feio e o bonito ainda amais bonito se combinados. Um festival esquizofrênico de contrastes que deixa tudo mais intenso e visceral. Vemos o negro muito melhor quando sobreposto ao branco… Percebemos muito mais a escuridão quando um foco de luz se apaga repentinamente… O teatro dos horrores não vive sem beleza… sem sexo. Se só tem feiura, os olhos se acostumam. Se só tem beleza, os olhos se acostumam. Precisamos de oposição para sentir as coisas. A arte de contrabalancear atração e repulsão, em sujar uma com a outra, usar uma de catalizadora da outra, nos faz habitar uma zona de intersecção fascinante e intensa. O encontro das águas nos comprime e enleva,  faz o sangue circular por todos os lados possíveis. George Bataille, o louco filósofo francês, dizia que nada excita mais do que sujar o belo. Por isso o fascínio por lolitas, que ainda estão imaculadas. Tesão e medo também são aliados históricos poderosos. Aquilo que se torna familiar e seguro demais (casamento), destrói o desejo.

Algumas feministas analisam a coisa da seguinte forma: o homem quer punir a liberdade sexual da mulher, fazendo ela sofrer na tela o máximo possível. Os homens teriam raiva da emancipação sexual da mulher. Por isso geralmente a primeira a morrer no filme é a que estava transando. Sinceramente acho que isso até pode existir, mas é um jeito muito pobre de ver a coisa. Típica daquelas feministas que acham que tudo que é erótico é uma exploração indevida da mulher… As mulheres também amam seus vampiros perigosos, seus deuses correndo sem camisa com arranhões sangrando por todo corpo. Não me enganam… Há algo de muito mais profundo aí do que moralismos e punições. É algo muito mais bestial, pré-civilização. Freud sempre apontou para a angústia que é ser um animal civilizado. Nesses filmes somos liberados para ser tudo ao mesmo tempo.

Vamos curtir casos clássicos do cinema… Amorte rondando uma mulher perfeita… O tesão inoportuno em momentos de caos.

Começando com o “clássico”  Massacre da Serra Elétrica, revelando uma Jessica Biel em início de carreira. Corpo escultural, rostinho perfeito… detalhe para o nózinho na camiseta pra mostrar a barriguinha, que nunca se desfaz mesmo nas perseguições mais terríveis…

 

 

Pesadelo em Elm Street escolheu um ângulo que quase não excita os homens para uma das cenas de horror. Na refilmagem do filme, a cena mais famosa não poderia faltar

 

 

Em A Cela, vemos a gostosíssima Jennifer Lopez entrando nos sonhos sombrios de um serial killer psicopata…

 

 

Nem nossa rainha da pureza, a ternurinha Sandy escapou do tétrico desejo masculino de ver beldades em  filme de horror. O filme de terror nacional Quando Eu era Vivo, poderia ter tido mais perseguições sanguinárias com Sandy vestindo trajes sumários… mas fica pra próxima. Já foi bom ver sua carinha assustada rs…

 

 

Elisha Cuthbert passa maus bocados em A Casa de Cera. Seu rostinho lindo e suas coxas grossas não tem um minuto de paz…

 

 

As mulheres também tem uma quedinha pela mistura morte e sexo… com seus vampirinhos lindos de pele pálida, elas sonham oferecer seus pescoços para eles pegarem um sanguinho quente! Aqui vemos o tão cobiçado Brad em Entrevista com o Vampiro. Medo com tesão…

 

 

Amanda Seyfried e Emily Blunt já tiveram que fugir de lobos nos filmes Chapeuzinho Vermelho e O Lobisomem. Lindas e apavoradas… Até Ana Paula Arósio teve que fugir de um em O Coronel e o Lobisomem . E não esqueçam de Michele Pfeiffer em O Lobo

 

 

Mas não só de frágeis mulheres apavoradas vive o cinema… em Byzanthium, são elas que são as vampiras e perseguem os homens sedentas de sangue. O que também dá tesão no público masculino… (e lésbico).

 

 

E o que dizer dessas duas bruxas “horrorosas” ?  Malévola e Branca de Neve com as deusas Angelina e Charlize… sexy e mortais!

 

 

Falando em Charlize, ela foi possuída (sexualmente) pelo próprio diabo em O Advogado do Diabo… delícia a cena dela nua na igreja!

 

 

No Drácula de Francis Ford Coppola, vimos um mundo gótico e sexual nunca antes explorado com tamanha riqueza de detalhes…

 

 

 

Em Jennifer’s Body, Megan Fox está completamente possuída e matando só meninos… A melhor cena é o beijo gostoso que ela dá em Amanda Seyfried… que combinação maravilhosa de sangue, maldade e mulher com mulher!

 

 

Em Splice, o biólogo transa com uma esquisita aberração genética criada por ele no laboratório, que ainda por cima no fim do filme vira macho… enquanto era fêmea, até que era sensual… Sexo bizarro!!!

 

 

Em Cisne Negro, Natalie Portman é boazinha demais!. Seu treinador a chama de frígida e manda que vá pra casa se masturbar e viver um pouco, descobrir seu lado negro, visceral, sensual, não calculado, entregue ao momento… As cenas mais deliciosas são Natalie se pegando e o beijaço que Mila Kunis dá nela…

A bailarina pura, filhinha da mamãe, acaba por achar seu lindo demônio adormecido.

 

 

Em Anticristo, o sexo é visto quase como um tormento para o ser humano. A vontade de consumar um orgasmo passa a ser uma obsessão que passa por cima de todas as outras coisas… mais forte que o medo da morte!

 

 

A câmera está sempre em close no lindo rosto de Naomi Watts em The Ring… o prazer está em ver suas reações e sua beleza apavorada…

 

 

Perfume é sobre um serial killer que tem um olfato privilegiado. Além de matar mulheres lindas, no final ele cria a fórmula do amor, um aroma inebriante que faz todo mundo querer transar assim que sente. Esse perfume é feito com o corpo de mulheres assassinadas por ele… fascinante!

 

746_13_screenshot

 

Bom, poderíamos ficar dias aqui mostrando cenas interessantes desses filmes. Aqui vão algumas pra vocês curtirem e descobrirem da onde são. Um Halloween cheio de sexo a todos…