Gente, agora agora dividimos com vocês o relato dele, do marido de nossa leitora que é mãe e decidiu fazer um ménage depois de se inspirar lendo nossos textos! O casal decidiu realizar essa fantasia e provar que não é porque são pais que não podem apimentar sua vida sexual! O relato está uma delícia…..aproveitem!

Jamais conheci um homem que não tivesse imaginado transar com duas mulheres ao mesmo tempo.

Tema recorrente de filmes, a ideia de amigas se pegarem e te convidarem para completar a festa já fez parte do sonho da maioria, para não dizer a totalidade, dos homens. Se muitos deles preferem deixar suas esposas longe disto, com aquele papo bobo de serem “mulheres para casar”, eu sempre optei por tentar incluir a minha na fantasia, já que jamais a trairia.

Foram anos e anos em que tentava jogar a ideia, com calma. Por mais que na maioria das vezes ela descartasse de cara, em algumas raras ficava um sinal que acendia uma ponta de esperança e o pensamento de que não deveria desistir.

Até que um dia, não me lembro exatamente como, o tesão dela a fez romper barreiras. Primeiro a ideia era aceitar apenas um beijo, depois um amasso, depois algo a três e, enfim, a ideia de provar o corpo de outra por inteiro.

Criei um monstro!

 Aquela ideia passou a virar uma obsessão para ela e tive que fazer um papel que jamais imaginei, o de tentar frear o ímpeto.

 Quando decidimos testar com uma garota de programa, fui eu quem adiou a experiência por motivos diversos. E mais de uma vez. E foi o melhor que nos aconteceu.

 Finalmente marcarmos o tão aguardado dia, tínhamos a nossa garota preferida e as “regras” muito bem definidas. Tudo começaria com ela, eu aguardaria o convite, e a única proibição seria uma intimidade maior, um chamego com ela ou, para a minha tristeza, o momento supremo de deitar-me e abraçar uma de cada lado. Abraço deitado era exclusividade dela.

 E fomos!

 Entre diversos nomes que pesquisamos na internet, a favorita foi a Júlia Faria (@JuliaFariaGP). Baixinha, com um belíssimo corpo, um sorriso encantador e, além de tudo, super simpática quando entramos em contato pelo Whatsapp.

 

 No caminho para o flat em que ela atende, muita tensão. Ela garantia que não existiria ciúmes, mas era difícil acreditar. Da parte dela, o medo era do novo. Como seria beijar? Como aconteceria? Será que conseguiria chupar ela?

A recepção do hotel seria a última barreira para mim, e olha que foi mais enrolada do que eu queria.

Enfim, a porta do elevador se abriu com nossa “anfitriã”. Dentro dele, nos cumprimentamos e falei da tensão, numa tentativa de tentar descontrair, mas sem muito sucesso.

Ao entrarmos no apartamento, segui meu papel combinado e pedi para usar o banheiro. A ideia é de que eu desse um tempo para ela já começar com a Julia, mas lá de dentro só ouvia as duas conversarem e, sem ter mais como enrolar, saí para vê-las sentadas no sofá batendo papo.

 A Júlia então nos convidou para irmos para a cama. Logo que aceitamos ela disse que ficaria mais confortável, tirando sua calça.

 Era real! Minha esposa e a Julia ficaram apenas de lingerie enquanto me sentei numa cadeira para vê-las começar. Como deve ser, um beijo abriu caminho para tudo e logo os sutiãs saíram para que os peitos se tocassem.

Logo em seguida veio o convite para eu entrar e jamais poderia imaginar que fosse tão interessante e fácil um beijo triplo.

 Minha camisa foi arrancada e, em seguida, minha calça. Apenas de cueca, deitei na cama com as duas prontos para me deixarem nu e começarem a chupar o meu pau. Se não tivesse plena confiança na minha esposa, poderia suspeitar de tal entrosamento com a Júlia. As duas sabiam cobrir todos os mínimos espaços, fazendo tudo da melhor forma possível e ainda encontrando suas bocas para alguns beijos no meio das chupadas.

tumblr_n3650so7vn1rpagy0o1_400

 Logo era a vez dela ser chupada. Eu e a Júlia fomos entre suas pernas e a lambemos. Sem o mesmo entrosamento, levantei-me e aproveitei a bunda arrebitada de Júlia para para experimentar sua buceta.

 O começo era para provar de tudo e, aprovando o que senti, chamei a minha mulher para provar sua primeira bucetinha também. Coloquei a cabeça dela entre as pernas de Júlia e a deixei lá, avisando que ia levar meu pau para ser chupado por nossa amiga.

 Com todos chupados, era hora de começar a trabalhar. Deitei-me para que minha mulher montasse no meu pau, convidando Júlia para sentar na minha cara. Enquanto eu metia e chupava, as duas se agarravam e se beijavam para fazer um belo triângulo.

 Minha mulher então se deitou na cama e disse que eu deveria comer Júlia, que prontamente colocou uma camisinha no meu pau (com uma praticidade impressionante), e ficou de quatro. Minha esposa então deitou-se na cabeceira para que Júlia a chupasse, enquanto eu me satisfazia observando uma belíssima bunda.

 Controlando-me para não gozar, recebi um sinal do amor da minha vida de que era para eu me soltar e comer a outra sem preocupação, indo até o final enquanto ela aproveitava os lábios delicados de uma outra mulher em sua buceta.

 Não dava mais para me controlar!

 

 Exaurido e “pegando fogo”, fui até o banheiro enquanto as duas ficaram na cama. Ao voltar, parecia que estava diante de duas grandes amigas, que conversavam sobre o que havia acontecido e outras coisas.

 Naquele momento já éramos um casal totalmente diferente e a confirmação veio minutos depois, quando fui convidado a ficar no meio delas e fui abraçado por ambas, que entrelaçaram as pernas nas minhas.

 A cumplicidade havia tomado o lugar do ciúmes e estava claro que não se tratava mais do marido estar comendo outra mulher, mas de um casal estar se divertindo com ela.

 Ainda havia tempo para uma segunda vez e as coisas só ficaram melhores.

 Depois de ser chupado pelas duas, ouvi de minha mulher que ela queria provar mais da buceta de Júlia e foi para o meio das pernas dela, enquanto eu recebia um boquete espetacular e também beijava a nossa escolhida.

 Pronto para comer minha esposa desta vez, ouvi dela que deveria era comer mais uma vez a Júlia, já que poderíamos transar a hora que fosse em casa.

 Júlia mais uma vez colocou a camisinha e sentou-se no meu pau. Logo elas inverteram a primeira posição, com minha mulher sentando na minha cara para ser chupada. Mas o prazer dela já parecia vir de onde jamais havia imaginado também. Ela levantou-se da cama e foi ver a cena por trás, chupando o meu saco e lambendo-o até sua língua encontrar a bunda de Júlia.

 Exausto e surpreso, tinha dificuldade para gozar. Júlia então inverteu de posição, deitou-se para eu ficar por cima. Eu metia nela com minha esposa ao lado, olhando, admirando seu marido comer uma outra mulher.

 Era surreal!

 Comendo Júlia e beijando minha esposa, gozei mais uma vez e tentava entender se aquilo realmente havia acontecido.

 Jamais vou me esquecer dos cheiros, das texturas, das bocas, dos gostos, do calor. Jamais vou me esquecer do momento que deixamos de ser o que éramos para nos tornarmos algo superior, algo que extrapola a razão.

 Ao chegarmos em casa, ainda embasbacados, falamos de Júlia e transamos mais duas vezes pensando nela e nas próximas vezes.

 Aquele pensamento de certa forma machista da minha juventude, de simplesmente poder comer duas mulheres, não teria jamais a sofisticação para compreender que o que havia acontecido era muito maior do que havia imaginado.

 Deixamos de ser apenas marido e mulher. Somos um casal pleno e louco de vontade de compartilhar mais uma mulher.

Vídeo da lindíssima Júlia Faria: